O Folclore e as Marchas Populares

Apesar de não constituírem propriamente ranchos folclóricos e não terem propriamente a missão de preservar as nossas tradições mais genuínas, algumas marchas populares incluem na sua exibição elementos etnográficos que identificam os respectivos bairros.

A imagem apresenta a marcha de 1968 do pitoresco bairro da Madragoa evocando a colónia ovarina que lhe está na origem.



A marcha de Benfica do ano de 1947 faz alusão às raízes saloias do bairro. De salientar que outrora, aquele bairro estendia-se para os terrenos do actual concelho da Amadora, sendo à altura este designado por "Benfica extra-muros".


No Pavilhão dos Desportos, actual Pavilhão Carlos Lopes, uma participante da marcha de Benfica exibe o seu traje saloio.


Fotos: Arquivo Fotográfico da CM Lisboa
Textos do Dr. Carlos Gomes


Em complemento a estas imagens, sugerimos a leitura do artigo de opinião:

O Folclore e as Marchas Populares - O Estado Novo e as tradições são-joaninas
A celebração do Solstício de Verão que ocorre no dia 21 de Junho marca as tradições joaninas – ou juninas – que levam o povo a festejar os chamados “santos populares”. Nas regiões mais a norte, os festejos são predominantemente dedicados a São João enquanto as comunidades piscatórias, por afinidade de ofício, celebram a São Pedro.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...